VISITANTE Nº

contador de visitas

domingo, 11 de julho de 2010

MATÉRIA SOBRE MEDIAÇÃO NO RIO DE JANEIRO, UMA REALIDADE.





As UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora) irão oferecer cursos de conhecimento técnico - jurídico na área de mediação de conflitos. O projeto, que atuará em parceria com Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, visa resolver casos de baixo potencial ofensivo entre moradores das comunidades, que totalizam cerca de 60% das ações que vão para a justiça gratuita e geram sobrecarga no sistema judiciário.

- Qualquer tipo de divergência entre vizinhos e pessoas da própria comunidade poderá ser resolvida com esta mediação. Ela é uma forma preventiva, que dá oportunidade ao diálogo, sem que seja necessário encaminhar ações ao judiciário – explica o presidente do Tribunal Judiciário do Rio de Janeiro, Luiz Zveiter.

A ideia vai ao encontro dos objetivos do Comando de Polícia Pacificadora, por apresentar princípios similares como o conceito definido por policia de proximidade, voltada à orientação e resolução de problemas.

- O que verificamos é que quem resolvia esses problemas era o tráfico, de uma forma violenta e ilegal. Ainda estamos desenhando o curso, minha e equipe e a equipe da desembargadora Marilene Alves, do TJ. Existe a possibilidade de realizarmos um intercâmbio com agências policiais da Argentina, que já têm essa prática, para que gestores e policiais formados tenham a possibilidade de observar, numa realidade distinta, a aplicação dessas técnicas. Estamos na fase de análise das demandas, números, apresentação da realidade e definição do projeto pedagógico - enfatiza o comandante das UPPs, coronel Robson Rodrigues.

O espaço físico para a mediação de conflitos será no mesmo modelo arquitetônico modular desenhado para as UPPs, que também poderá abrigar uma unidade de serviço social, com técnicos preparados para a recepção e encaminhamento das demandas. De acordo com o coronel, a primeira edição do curso será ministrada por especialistas da área, em espaço cedido pelo próprio tribunal.

Na formatação do projeto pedagógico estarão as disciplinas de psicologia, direito e normativas concernentes ao tema. Estima-se que haja cerca de dois policiais militares, comandantes e subcomandantes, que se tornariam multiplicadores do curso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário