VISITANTE Nº

contador de visitas

domingo, 17 de outubro de 2010

PERNAMBUCO TEM CRESCIMENTO DE 9.9% PIB


Diário de Pernambuco - Economia



 Setor industrial foi o destaque com elevação de 17,5%
Juliana Cavalcanti
julianacavalcanti.pe@dabr.com.br

O Produto Interno Bruto (PIB) de Pernambuco cresceu no segundo trimestre deste an12,4%. O estado cresceu 3,6 ponto percentual acima do Brasil, que apresentou resultado de 8,8% no mesmo período. No semestre, enquanto o país cresceu 8,9%, a soma das riquezas de Pernambuco aumentou 9,9%. O resultado é o melhor na história desde 1995 e é atribuído a um ciclo sustentado na implantação de investimentos de infraestrura e na instalação de empreendimentos.
O destaque foi o setor industrial, com crescimento de 17,5%, cinco pontos percentuais acima do primeiro trimestre. A indústria de transformação apresentou resultado positivo de 22%, com melhor desempenho dos segmentos de alimentos e bebidas e refino de petróleo e álcool; já a construção civil cresceu 21,2%; enquanto os serviços industriais de utilidade pública tiveram variação positiva de 8,8%.
"Foi o melhor trimestre da história. Especialmente na construção civil, atribuímos o resultado aos investimentos estruturadores e imobiliários. A indústria tem representado uma parcela cada vez maior do PIB e isso significa uma mudança no perfil da economia pernambucana, com maior diversificação", explicou Maurílio Lima, diretor de Estudo, Pesquisa e Estatística da agência Condepe/Fidem.
Perfil Econômico - Na avaliação de Lima, o setor de serviços - que já representou 70% do Produto Interno Bruto do estado, deve ter menor peso na geração de riquezas de Pernambuco. "Só vamos sentir esta mudança daqui a alguns anos, quando os investimentos que estão sendo feitos agora estiverem consolidados. Teremos dois setores grandes, com os serviços diminuindo em termos relativos", considera o diretor da Condepe/Fidem.
O crescimento dos serviços no segundo trimestre de 2010 foi de 11%. Os segmentos que mais contribuíram para o resultado foram Transporte, com 21,2% de crescimento; Atividades Imobiliárias, Aluguéis e Intermediação Financeira, com 13,7% e Alojamento e Alimentação, que cresceu 17,3%. "Esperamos que no segundo semestre um crescimento entre 9% e 11%", completou Maurílio Lima.
A agricultura, destaque no PIB brasileiro com avanço de 2,1%, em Pernambuco teve crescimento de 5,8% no segundo trimestre deste ano. O resultado foi alcançado, nas culturas permanentes, principalmente devido à uva e à manga, com 44,8% e 31,5%, respectivamente. Já a cultura da banana, teve crescimento de 18,3%. "O setor que exporta frutas teve o maior peso neste resultado", explicou Lima. Nas lavouras temporárias, a cana-de-açúcar, que representa 58,8% deste segmento, cresceu 7,9%.
De acordo com Maurílio Lima, as chuvas intensas que ocorreram no primeiro semestre deste ano não prejudicaram o cultivo de cana, mas tiveram impacto em outras culturas como o milho (-44,6%) e feijão (-21,2%). Neste setor, a pecurária registrou resultado negativo de -2,1%.

Nenhum comentário:

Postar um comentário