VISITANTE Nº

contador de visitas

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

TROPA DE ELITE 02, TIREM SUAS CONCLUSÕES, DELEGADO PROTÓGENES É VÍTIMA DO SISTEMA.

Satiagraha - Condenado a três anos, Protógenes não tomará posse.


Protógenes irá prestar serviços
comunitários como pena alternativa




São Paulo. O delegado Protógenes Queiroz foi condenado pela Justiça Federal a três anos e quatro meses de prisão aberta pelos crimes de violação de sigilo funcional e fraude processual. A pena foi substituída por restrições de direitos - Protógenes terá que prestar serviços à comunidade em hospital público ou privado, "preferencialmente de atendimento a queimados", e fica proibido de exercer mandato eletivo, cargo, função ou atividade pública.



Comandante da operação Satiagraha, que investigou suposto esquema de evasão de divisas e lavagem de dinheiro envolvendo Daniel Dantas, do banco Opportunity, Protógenes elegeu-se deputado federal neste ano pelo PCdoB. A sentença foi aplicada pelo juiz Ali Mazloum, da 7ª Vara Criminal Federal paulista, que acolheu denúncia da Procuradoria da República. O magistrado, decretou ainda a perda dos cargos públicos ocupados pelos acusados na PF, ou seja, Protógenes deixa de ser delegado.


A base da condenação é um inquérito da PF, segundo o qual Protógenes divulgou conteúdo da investigação sigilosa. Ele teria revelado a dois jornalistas da Rede Globo dados sobre uma reunião que ocorreria no dia 19 de junho de 2008, da qual participariam alguns dos investigados. Além disso, teria forjado prova usada em ação penal da 6.ª Vara Federal contra Dantas.


O escrivão da PF Amadeu Bellomusto, auxiliar de Protógenes, também foi condenado porque teria recepcionado os jornalistas e participado da violação de sigilo funcional, facilitando filmagens daquela reunião.


Segundo o juiz, o delegado efetuou "práticas de monitoramento clandestino, mais apropriadas a um regime de exceção".


Impasse. Com a pena, Protógenes fica impedido de assumir o mandato de deputado. O advogado dele, Adib Abdouni, informou que vai recorrer da sentença. "Vamos recorrer para que ele seja absolvido. A Satiagraha foi um trabalho de repercussão nacional porque a investigação foi muito bem feita", disse o defensor.


fonte :  Jornal O TEMPO online

Nenhum comentário:

Postar um comentário