VISITANTE Nº

contador de visitas

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Trabalho de policiais será monitorado por câmeras, em PERNAMBUCO.


Uma iniciativa inédita em Pernambuco vai ampliar a política estadual de segurança pública. Até o primeiro semestre do ano que vem, câmeras de áudio e vídeo serão instaladas do lado de fora e dentro de 500 viaturas da Polícia Militar. A SDS aposta na lógica de que a intervenção deve melhorar a eficiência do policial militar e a segurança pública. Outro alvo da intervenção é a melhoria do controle da tropa, formada por 20 mil policiais militares na ativa. Além de inibir falhas nos procedimentos policiais e desvios de conduta, as câmeras também podem servir para comprovar a legitimidade da ação dos PMs. A novidade tecnológica, que era guardada a sete chaves pela cúpula da SDS, terminou confirmada, com exclusividade ao Diario, pelo secretário de Defesa Social, Wilson Damázio, e já está causando polêmica na corporação.







Por enquanto, duas viaturas estão circulando com as câmeras em fase de teste. ´O policial tem que comemorar a instalação dos equipamentos, pois estamos fazendo o mesmo que a polícia de primeiro mundo`, afirmou o secretário Damázio. Se tudo acontecer como o previsto, até o primeiro semestre do ano que vem 500 viaturas estarão nas mesmas condições.






Pernambuco não é o primeiro estado do país a apostar na ideia das câmeras em viaturas policiais. Em São Paulo, câmeras acopladas ao teto registram o que ocorre ao redor do veículo e as imagens podem ser vistas em um computador de bordo e na central de monitoramento da corporação. Com isso, os policiais são avisados quando se aproximam, por exemplo, de um bar em que há denúncia de venda de drogas ou de um cruzamento em que ocorrem muitos assaltos.






No Rio de Janeiro, o caso do atropelamento de Rafael Mascarenhas, filho da atriz Ciça Guimarães, quando dois policiais foram acusados de cobrar propina para liberar o atropelador, trouxe à tona o debate das câmeras. Naquele estado, uma lei anterior ao acidente já determinava a instalação dos equipamentos nos carros novos da polícia e nos antigos. As câmeras seriam instaladas no vidro da frente. Além da imagem, o equipamento também grava o que se fala dentro do carro. E mesmo à noite, em ruas pouco iluminadas, a imagem é nítida e pode revelar algum tipo de conduta errada. Nos Estados Unidos, já é comum o uso desse tipo de equipamento para vigiar os policiais.






Independentemente das críticas dos policiais militares, as câmeras podem frear os casos de expulsão ocorridos na tropa. Entre os anos de 2007 a 2010 foram realizadas pela corregedoria 192 exclusões de PMs e bombeiros militares e 125 prisões. As causas das exclusões são variadas e incluem crimes de estelionato, tráfico de drogas, lesão corporal, participação em grupos de extermínio e homicídios. Nos últimos anos, no entanto, o principal motivo de desligamento do policial pernambucano é o envolvimento com homicídios. De férias, o coronel Elias Siqueira, da Corregedoria da SDS, não quis falar sobre o assunto.






"Estamos fazendo o mesmo que a polícia de 1º mundo" Wilson Damázio, secretário de Defesa Social de Pernambuco

Nenhum comentário:

Postar um comentário