VISITANTE Nº

contador de visitas

segunda-feira, 4 de abril de 2011

PERNAMBUCO, Cabo DA PMPE DÁ FORMÚLA PARA O SUCESSO DA SECRETARIA DE DEFESA SOCIAL


QUAL É O MODELO DE SEGURANÇA PÚBLICA DEMOCRÁTICA?



Diversos programas oriundos de projetos milionários já foram apresentados pelos Estados.
Na maioria expressiva dos projetos na área de Segurança Pública os policiais militares nunca foram convidados para participarem das discussões e das idéias de como será aplicado na prática. 
Quando um programa é colocado em prática, o policial só toma conhecimento quando chega para trabalhar ao que é tarde demais. Nesse caso, o programa nem começou mais já teve seu fim.
O índice de criminalidade é discutido a cada ano através do Fórum da Segurança Pública que em 2011, será sediado em Brasília. Tudo indica que não teremos surpresas em relação aos dados da criminalidade do ano anterior (2010).
No Fórum de 2010 o Nordeste ficou com o maior índice nacional de criminalidade, sendo PERNAMBUCO em 3º lugar.
O que é o PACTO PELA VIDA? Um programa na área da Segurança Pública criado pelo governo do Estado de Pernambuco. Do ponto de vista filosófico, nada tem haver com a vida das pessoas. Na pratica, é totalmente oposta a cidadania e ao cosmopolitanismo. É uma mais um programa ficcionista em segurança publica de engodo social.
Maquinas não toma conta de vidas. Quem pode tomar conta da vida das pessoas são pessoas porque são racionais.  
Se de todo o investimento posto nos programas o salário dos policiais fosse a peça principal das arguições, teríamos mais resultados positivos. De fato, estamos falando de salários reais e não de gratificações ou horas extras.
O problema é querer empurrar aos policiais programas na área da segurança pública como se eles fossem máquinas que é só ligar e mãos a obra.
Para refrescar, queremos lembrar aos senhores que policiais são pessoas, é quem faz a Segurança Pública com ou sem programas.
Democratizar na segurança pública é envolver todos os protagonistas.
Da mesma forma que um projeto precisa de dinheiro para sair do papel e sobreviver como programa, os que estão na ponta do iceberg também tem um orçamento para sobreviver com dignidade. Se não envolvê-los, conferido-lhes salários dignos, achando que podem ser despóticos, põem em risco a Democracia e o Estado de Direito.  

POSTADO POR: Juarez Vieira Ramos – Bel. Em Direito pela UNIVERSO, Campus Recife.

Nenhum comentário:

Postar um comentário