VISITANTE Nº

contador de visitas

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Tenente nega envolvimento em morte de juíza, diz defesa.


DO RIO

O advogado Saulo Sales, que representa o tenente Daniel Benitez Lopez, afirmou nesta terça-feira que seu cliente nega o envolvimento no assassinato da juíza Patrícia Acioli, ocorrido há um mês, na região metropolitana do Rio. O PM, um dos três apontados como responsáveis pelo crime, prestou depoimento por três horas e meia.
 

"Não foi ele quem cometeu o homicídio. Ele saiu do serviço no dia anterior, foi para Niterói e ficou na sua residência. Ele nega a autoria e vamos conseguir provar isso durante a marcha processual", afirmou o advogado.
Para a polícia, Lopes e os cabos Sérgio da Costa Júnior e Jefferson de Araújo Miranda, lotados no 7º Batalhão, de São Gonçalo, planejaram a morte da juíza para tentar evitar que ela decretasse a prisão do trio, que era acusado de matar um jovem de 18 anos.

A prisão dos PMs, no entanto, foi decretada por Acioli horas antes de morrer.
Os três policiais foram ouvidos hoje pela Polícia Civil. A advogada Alzira Garcia, que representa os dois cabos, disse que ainda não podia se posicionar por não ter tido acesso a todo o inquérito.
 
BUSCAS
A Polícia Civil cumpriu ontem e hoje 34 mandados de busca e apreensão para seguir a investigação sobre o assassinato da juíza. Agentes fizeram diligências nas casas dos três PMs investigados.

Foi encontrada na casa do cabo Sergio Costa Junior uma arma calibre.40. Na casa da mãe do PM, a polícia achou munição.
Além das buscas, a Divisão de Homicídio, responsável pelo inquérito, recolheu todos os 695 revólveres e pistolas calibre 38 e.40 do 7º Batalhão da PM (São Gonçalo), onde os agentes estavam lotados no dia do crime. Peritos do ICCE (Instituto de Criminalística Carlos Eboli) vão fazer o confronto balístico com os 21 cartuchos recolhidos no local do crime.

A polícia analisa ainda as imagens de câmeras do trajeto entre o fórum de São Gonçalo e a casa da magistrada, em Niterói. Segundo a polícia, ela foi seguida em todo o percurso.
"Todas as imagens estão sendo checadas e serão encaminhadas para perícia. São provas técnicas, vamos concluir essa parte em 30 dias", disse o delegado Felipe Ettore. 

 fonte: folha..com

Nenhum comentário:

Postar um comentário